Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

A orquestra do Maestro Silêncio

Uma casa, um paraíso, ninguém, além de uma abelha, o Sol - era o que mais havia de tecnológico - enviando sua luz e também um gerador de energia para as frias noites. Um lugar isolado. Tanto verde, quanto azul, havia o branco. E tudo gelado. Mata, árvores, um lago, neve ao longe e uma montanha enorme e algumas nuvens tão puras, que deveria se inventar um novo nome para este tipo de branco, tão puro - uma nova cor. A Patagônia chilena é realmente incrível, é mágica, surreal! Isto, porque não há as mãos dos homens, não há nem sequer algo que o ser humano tenha pensado ali e criado com a força do seu pensamento - mesmo sabendo ser impossível criar-se com a "força do pensamento" - não. Não havia nada que o homem tenha feito naquela paisagem, naquela natureza ali. Não estava silêncio. O barulho que vinha do gerador, (que só podia ser obra humana) ficava numa vibração sonora no tom de Sol maior, que é percebido na música em geral. Notei, também, que a abelha, sobrevoando minha cabe…

Últimas postagens

Um dia, um fantasma

Da morte...

Espere!

Seria um sonho a felicidade?

E mesmo que eu ande...

A religião é placebo

Os sonhos cantados

Um mundo