segunda-feira, 24 de agosto de 2015

A tigresa


Você me despertou.
Da embriaguez, solidão e dor.

Só eu sei pelo que passei.
Ainda lembro a luz quando acordei.

Você me salvou.
Das trevas, terror.
Hoje sou o teu maior protetor.

Faria tudo outra vez.
Para ter teu carinho, amor.
Os meus sonhos foi você quem fez.
Me tornou puro, livre da dor.

Você minha flor...
Do mais puro olor.
Sou completo pois tenho teu amor.

(Letra e melodia: Silvio Luiz)

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Sonho, realidade...


Amor, vou te contar...
Eu tive um sonho mágico.
Pode acreditar!
Porém foi simples, nada alegórico.

Primeiro sonhei acordado,
Com você delicadamente ao meu lado.

Tu estavas deitada sobre meu peito.
Como uma linda donzela em seu leito.

Nós dois abraçados, bem juntinhos.
E eu, em você, fazendo carinho.

Depois peguei no sono de vez.
Com você sonhei outra vez.

Tive de ti uma bela imagem:
Mulher, maturidade; 
pacífica, coragem.
São algumas das tuas nobres qualidades.

Fui tocado por teu carisma.
Adoro você com tua cisma.

Conduzes meus sonhos de modo elegante.
Toda vez quando fecho meus olhos, me leva bem distante.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

De 1940 à ... Sempre!

Discurso de Charlie Chaplin no filme O Grande Ditador.

"Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar – se possível – judeus, o gentio... negros... brancos
.
Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Queremos viver pela felicidade dos outros, não pela miséria dos outros. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódio... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.
A aviação e o rádio aproximaram-nos muito mais. A própria natureza dessas coisas é um apelo eloqüente à bondade do homem... um apelo à fraternidade universal... à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhares de pessoas pelo mundo afora... milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas... vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que me podem ouvir eu digo: “Não desespereis! A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia... da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem homens, a liberdade nunca perecerá.
Soldados! Não vos entregueis a esses brutais... que vos desprezam... que vos escravizam... que arregimentam as vossas vidas... que ditam os vossos atos, as vossas idéias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como gado humano e que vos utilizam como bucha de canhão! Não sois máquina! Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar... os que não se fazem amar e os inumanos!
Soldados! Não batalheis pela escravidão! Lutai pela liberdade! No décimo sétimo capítulo de São Lucas está escrito que o Reino de Deus está dentro do homem – não de um só homem ou grupo de homens, mas dos homens todos! Está em vós! Vós, o povo, tendes o poder – o poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela... de fazê-la uma aventura maravilhosa. Portanto – em nome da democracia – usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo... um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à mocidade e segurança à velhice.
É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós. Soldados, em nome da democracia, unamo-nos! (segue o estrondoso aplauso da multidão).

Então, dirige-se a Hannah:
Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontrares, levanta os olhos! Vês, Hannah? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo – um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergue os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança. Ergue os olhos, Hannah! Ergue os olhos!."

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Flamenco

Um diálogo no trem...





- Tem que acabar com o tráfico, matar todos esses traficantes.
- E você acha que com isso o consumo de drogas irá terminar? 
- Claro que não né? Mas pô... 
- Então... Quem você acha que irá passar a vender, ou melhor, a traficar as drogas?
- Eu sei lá.
- Vou lhe dar uma dica, dentre as duas possibilidades: A primeira começa com P e termina com A. A segunda opção começa com P e termina com A.
- Não sei...
- As drogas, o consumo, os viciados, não irão perder a vontade de consumir só por que o tráfico foi dizimado. Alguém vai ter de continuar com isso, alguém vai ter de vender drogas. Lá nos EUA, na Colômbia, Bolívia, Jamaica, Holanda, Índia, não irão parar de produzir as drogas só pelo fato de ter-se findado as facções de tráfico aqui no RJ. Você pensa pequeno. Pensa do tamanho de uma comunidade. Mas o tráfico está além dos morros e favelas. O mundo conspira a esse favor. No mundo inteiro se consome e se negocia. Aqui no RJ, ou em outra metrópole brasileira, só tem os peixes pequenos, é o camarada que lidá com o consumidor diretamente. Há peixes muito maiores nesse “mundo”. E esses "novos traficantes" entrando, tu achas que eles vão ser bonzinhos, queridos, parceirão?
- Entendo... Mas conta pra mim, o que começa com P e termina com A?
- “PENSA”. “Pensa”, meu querido...

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Involução


Dizem que estamos sempre em evolução.
Vemos isso todo dia: nas revistas, jornais e televisão.

É bem explícito. Percebe-se nos ofícios humanos.
Desde belas construções até as coisas mundanas.

Há também obras geniais, como a crueldade.
Ser um atroz hoje em dia é sinônimo de bondade.

É um ato caprichoso, do bem evoluído.
Atitude provinda de um ser nobre, instruído.

Para a maldade a mente funciona corretamente.
Hoje se dá prêmio ao ser que age soberbamente.

Mas então você vem com tal indagação:
Atrocidade é significa evolução?

Sim! Creio eu, pobre louco.
Afinal, de louco todo mundo tem um pouco.

Àquele que se apraz em ver o próximo sofrer,
Está acima de qualquer poder, de qualquer outro ser.

E isto gera status, respeito, admiração.
(Bem típico de pessoas sem concepção)

Elas, torpes, vibram a tudo agora.
Não é mais por um jogo de bola.

Pow! Eis um corpo no chão.
É motivo de comemoração.

! O sangue escorre.
Vamos beber até ficar de porre.

A coitada da desgraça não é difícil.
É até motivo para riso.
Fazer comédia hoje em dia é fácil:
Pega-se a calamidade e vai no improviso.

Tem-se apenas que seguir um padrão:
Escárnio, ódio e podridão.

Como já lhes disse acima:
Isto tratá, da maioria das pessoas, total estima.

De todos os prazeres que existe, eis o mais completo:
O deleite em ver o sofrimento alheio bem de perto

Não importa o quão ficarás fodido:
O importante é, de pé, seres aplaudido.

Não importa saber o quão estarás quebrado:
Vale é, que para rirem, apenas sejas lembrado.

sábado, 15 de agosto de 2015

1 ano





Olá, Bom dia! Excelente dia: 15 de Agosto. Hoje! É... Faz exato um ano desde o nascimento deste humilde Blog. Impulsionado pela querida Mariana Alves (a produtora rs), eis que surge este espaço para organizar melhor as palavras. 

Como toda data marcante se tem comemoração, não farei diferente. Irei comemorar com direito a bolo e salgadinhos e estão todos convidados.

Hoje é uma data extremamente importante para nossa era. Tão importante quanto ao Feriado de Nossa Senhora, dia 15 de Agosto, em várias cidades do Brasil; Também em 15 de Agosto de 1947, foi declarado o Dia da Independência da Índia; 15/08/1534, é fundada a ordem dos Jesuítas. Que teve como missionário Manuel da Nóbrega; 15/08/1969, abertura do Festival de Woodstock; em 15/08/0042 (D.C.), Maria (mãe de Jesus), segundo a tradição da Igreja teria "dormido" e ressuscitado sendo elevada ao Céu em corpo e alma pelos anjos; e infelizmente, 15/08/1945, poucos dias depois do bombardeio de Nagasaki, o Japão anunciou sua rendição.

Quem sabe, nesta data, 15/08/2015, entrará para os anais da história devido a este simples blog se tornar referência para a “Sociedade dos Poetas Loucos”. Daqui à centenas de anos será lembrado e comemorado À Luz da Lua, o maior acervo de frases e palavras, desde as mais simples às mais enigmáticas. É muita emoção!

Muitas das coisas que posto aqui, releio e penso: "cara, não fui eu que escrevi isto!" Não estou dizendo que é fantástico, ou perfeito, não. São simples. Mas não sei de onde vem essas coisas, as “inspirações”. Pode ser do subconsciente/ inconsciente, vidas passadas... Sei lá! É muita informação em muito pouco tempo. As vezes sai um texto, relativamente grande, completo em cinco minutos; dentro do ônibus; no almoço; na fila do elevador... Não reclamo disso. Apenas digo que é extremamente rápido e sutil.

É uma prazer enorme poder juntar palavras e frases que, para muitos, elas fazem sentido. Para mim também, fazem sentido muitas vezes (afinal sou tão leitor quanto vocês). É importante, nos dias de hoje, pensarmos, fazer pensar, questionarmos, sermos questionados. O discernimento é tudo, a interpretação também.

Espero, com isso, ser interpretado, ser lido, ser compreendido. Ou melhor. Não EU, o Silvio, mas as palavras que passam devagar aqui neste blog. 

Sillumats. Seria um personagem? Ou o autor? ... Eu escrevo, dirijo e interpreto? Não sei! Creio que muitas obras não são minhas, apenas sirvo de meio para expô-las.

Vou comemorar!
Abraços e tenham paz.

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Juntinhos...




Nós dois a sós,
Debaixo de confortáveis lençóis.

(Mesmo com esse calor),
Juntinhos, rindo baixinho, fazendo amor.

Nossos olhares quietamente fixos,
Olhando na mesma direção.

Eu apreciando teu capricho,
E você invadindo meu coração.